A Comissão Executiva de Empregados da Caixa (CEE/Caixa) está cobrando a Caixa para que cumpra o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e faça a inclusão dos contratados após 31 de agosto de 2018 no Saúde Caixa. O Saúde Caixa para todos foi uma das principais conquistas dos trabalhadores na Campanha Nacional do Bancários.

Em plena pandemia, com mais de 7,5 milhões de casos confirmados no país de covid-19, existem empregados que seguem excluídos do plano de assistência à saúde. Segundo a coordenadora da CEE/Caixa, Fabiana Uehara Proscholdt, que também integra o Grupo de Trabalho – Saúde Caixa, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) também já foi acionada para que o impasse junto ao Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST) seja solucionado. “Acionamos a Fenaban, pois o Saúde Caixa para Todos fez parte da Campanha Nacional e logo, eles também têm responsabilidade sobre isso. Não é problema nosso se a Caixa fez uma negociação que agora está com dificuldade de ser cumprida”, afirmou.

A extensão das mesmas possibilidades de serviços e de atendimento, assim como a participação no custeio deveria acontecer a partir de janeiro de 2021. No entanto, a Caixa alega que há uma pendência na autorização da SEST. Segundo o banco, os trâmites que dependem da Caixa já foram cumpridos.

Desde o fim da Campanha Nacional, a CEE solicitou a antecipação da inclusão dos empregados que não estão no Saúde Caixa. Porém, o governo federal não autorizou.

Para o presidente da Fenae, Sergio Takemoto, os empregados precisam desse direito, principalmente nesse período de pandemia. “Os trabalhadores continuam sem o Saúde Caixa nesse momento de pandemia onde ter um plano de saúde representa a vida. Infelizmente a Caixa não teve sensibilidade para incluí-los. Mas acredito que com união de toda a categoria vamos superar esse momento difícil “, afirmou.

Saúde Caixa para todos deve ser cumprido

No último dia 23 de dezembro, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), assessorada pela CEE/Caixa enviou mais um ofício à Caixa cobrando informações sobre o andamento do processo das inclusões dos empregados.

Mais recentemente, a Contraf-CUT também reiterou ao banco público a importância da instalação do GT – Saúde Caixa. No retorno, a Caixa se comprometeu a realizar a primeira reunião do GT ainda na primeira quinzena de janeiro.

Ainda em setembro, a Contraf-CUT já havia enviado um documento pedindo a antecipação da inclusão dos novos empregados no plano de assistência à saúde. A Caixa informou que a inclusão dependeria dos ajustes no plano bem como a autorização do SEST.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.