A Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT) vão ingressar nos próximos dias com ação na Justiça, reivindicando que a Caixa disponibilize aos beneficiários do antigo Programa de Assistência Médica Supletiva da Caixa (PAMS) o serviço de telemedicina. Atualmente, essa modalidade de cobertura está disponível apenas aos usuários do Saúde Caixa. 

O presidente da Fenae, Sergio Takemoto, critica a atitude discriminatória do banco. “Há discriminação dos beneficiários do PAMS. A nova modalidade de atendimento foi criada por conta da pandemia da Covid-19, que exige isolamento social.  Com isso, os beneficiários do PAMS não precisariam se deslocar para consultas presenciais”, justifica o dirigente. 

Takemoto informa ainda que no dia 6 de outubro a Contraf/CUT encaminhou ofício à direção da Caixa cobrando negociação e resolução do problema. Até o momento, a empresa não respondeu a solicitação da entidade. 

Entenda

O PAMS era o plano de saúde dos trabalhadores do banco público anterior ao Saúde Caixa, criado em 2004.  Mesmo com a extinção do programa, uma parcela – estimada em mais de 3 mil – dos empregados não migrou para o novo plano de saúde. 

A Fenae tem recebido relatos de discriminação dos empregados, aposentados e pensionistas que optaram por permanecer no PAMS, com o objetivo de convencê-los a migrar para o Saúde Caixa. 

Além de não assegurar a telemedicina, não foi disponibilizado aos beneficiários do programa o atendimento telefônico 24 horas, sete dias por semana, o reembolso de despesas com procedimentos odontológicos e órtese prótese e procedimentos especiais – OPME, como implantes dentários e os usuários sequer, podem acessar o aplicativo para marcar consultas. 

“Uma das missões da Fenae e das Apcefs é atuar em defesa dos direitos dos empregados da Caixa. Por isso, precisamos fortalecer o movimento associativo. Uma das formas de fazer isso é se associando às Apcefs e apoiando as ações que temos realizado para barrar os ataques que os trabalhadores têm sofrido”, destaca Sergio Takemoto. 

Quem estiver no PAMS e não estiver associado a uma das Apcef’s poderão fazê-lo até o dia 11/12.

Para saber mais sobre as vantagens de ser associado às Apcefs confira na plataforma de associação. Se você ainda não é associado, associe-se!

  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.