Na primeira reunião ordinária do Conselho de Usuários do Saúde Caixa em 2021, ocorrida nesta quarta-feira (31), o banco apresentou o relatório atuarial e financeiro do plano de saúde referente ao exercício de 2020. Os dados precisam ser analisados de forma mais aprofundada e, por isso, os conselheiros eleitos solicitaram o agendamento de uma reunião extraordinária no final de abril para avaliar o desempenho do plano. 

As informações financeiras e atuariais deveriam ter sido disponibilizadas no final do ano passado, na reunião que aconteceu em dezembro, mas a Caixa postergou a apresentação para uma reunião extraordinária do Conselho para janeiro deste ano, que não aconteceu.  Os conselheiros eleitos reforçaram a necessidade de o banco tornar transparente aos dados do plano de saúde. 

A Caixa alegou que teve dificuldades com a validação dos dados, devido a mudança de metodologia utilizada pela nova empresa contratada para fazer a análise atuarial. 

O relatório também será debatido na reunião no Grupo de Trabalho Saúde Caixa, que acontecerá nesta quinta (1). Os representantes dos usuários estão finalizando a contratação de uma empresa atuarial para acompanhar e analisar os dados de custeio e gestão apresentados pela Caixa. 

O GT Saúde Caixa foi criado, conforme o ACT 2020/2022, para estudar o custeio e gestão do plano de saúde dos empregados. O grupo paritário, composto por representantes dos empregados e da Caixa, deve apresentar um formato de custeio e gestão do plano até o dia 31 de julho de 2021. 

Melhorias no atendimento

Na reunião do Conselho, também estiveram em pautas assuntos pertinentes à qualidade do atendimento aos usuários, especialmente nesse momento de pandemia. Os conselheiros repassaram aos representantes da Caixa problemas relatados por empregados ativos e aposentados como demora no retorno dos canais de comunicação disponibilizados pelo plano de saúde, na liberação de autorização prévia para os casos de home care e exames novos, bem como de autorizações de procedimentos. 

Na avaliação dos conselheiros, a reestruturação realizada na Vipes (Vice-Presidência de Pessoas) está comprometendo a gestão do plano. Além da redução de empregados na área, o banco está direcionando para uma centralizadora a contratação de serviços. A preocupação é que essa medida afete a agilidade na contratação de novos credenciados e o relacionamento com aqueles que já prestam serviço ao plano de saúde. 

Outro ponto em pauta foi atualização cadastral. Os conselheiros voltaram a reivindicar que conste no APP ou portal do Saúde Caixa mensagens solicitando o recadastramento dos aposentados.  Foram debatidos ainda temas como a correção de valores das mensalidades de aposentados, cujo desconto continua com os valores dos vencimentos da ativa e credenciamentos de novos serviços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *