Menos de 24 horas depois de ser publicada, o Governo Federal revogou, nessa quarta-feira (02/9), a Portaria 2.309, que incluía a contaminação por coronavírus na Lista de Doenças Relacionadas ao Trabalho (LDRT). A portaria facilitaria o acesso dos trabalhadores ao auxílio-doença pago pelo INSS e ao FGTS, além de garantir a estabilidade de 12 meses no emprego. 

O Brasil é o segundo país mais atingido pela Covid-19 no mundo, e a situação dos trabalhadores na linha de frente se arriscando e arriscando suas famílias para prestar atendimento à população é insustentável.   

Com a decisão do STF, o covid-19 ainda pode ser pode ser considerada uma doença ocupacional, equiparando-a a acidente de trabalho, se o trabalhador comprovar o nexo causal (relação entre a doença e o trabalho). A portaria, no entanto, facilitava a concessão automática do benefício.  

“Temos um cenário na Caixa de muitos bancários trabalhando presencialmente nas agências e lidando diariamente com aglomerações de pessoas. Agora, o Governo nega os direitos básicos de saúde e reafirma que nunca se importou com a vida dos trabalhadores”, ressalta a Diretora de Saúde e Previdência da Fenae, Fabiana Matheus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.